Unecs repudia proposta para acréscimo de juros em compras parceladas

A extinção da modalidade poderia reduzir, aproximadamente, 10% das vendas do comércio.

0 298

A União Nacional das Entidades do Comércio e Serviços (Unecs), da qual a ABAD faz parte, se posicionou contrária ao pedido das administradoras de cartões para que as compras parceladas no crédito fossem acrescidas de juros.

A extinção da modalidade poderia reduzir, aproximadamente, 10% das vendas do comércio. Segundo a Associação Brasileira das Instituições de Pagamento (Abipag), o percentual representa cerca de R$ 90 bilhões que seriam pagos na forma de juros, ao invés de serem destinados ao consumo. Ou seja, a medida privilegiaria os bancos, que cobrariam juros muito mais altos do que já cobram, transvestidos como venda “sem juros” no cartão, uma estratégia sem fundamento.

Leia a nota de posicionamento assinada pelo coordenador da Unecs, Paulo Solumucci:

“A Unecs repudia a proposta da Abecs ao BC (conforme reportado do jornal Valor Econômico no dia 30 de janeiro) em relação ao Crediário e de pôr fim ao parcelamento sem juros feitos diretamente pelos lojistas por entender que estas são importantes ferramentas à disposição do empresário para definir suas estratégias de preço e condições de pagamento. Defendemos que a discussão sobre um assunto dessa relevância não pode avançar sem envolvimento dos representantes do setor de comércio e serviços, em especial daqueles que representam os pequenos e médios negócios. O parcelamento lojista atualmente representa a melhor e mais barata forma de estimular o consumo.”

Unecs

Criada em 2014, a UNECS é formada por sete das maiores instituições brasileiras representativas da área do comércio e serviços: Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores (ABAD), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Confederação Nacional de Dirigentes e Lojistas (CNDL) e Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB).

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.