A Revista de Negócios dos Atacadistas Distribuidores

Estudo revela o perfil de público tomador de crédito no País

20

Com a missão de fomentar o empreendedorismo no País e contribuir para aumentar a produtividade dos pequenos negócios, a ABSCM – Associação Brasileira das Sociedades de Microcrédito, presente há 17 anos no mercado, fez um levantamento com as 27 entidades associadas em 12 Estados brasileiros, com o objetivo de conhecer o perfil do público atendido, faixa etária, gênero, modalidade de financiamento, tipos de empresa e setor da atividade produtiva, ampliando as oportunidades para o setor.

De acordo com os respondentes, (33%) do público atendido é formado por mulheres, pessoa física, e 44% pessoas jurídicas. A modalidade das microempresas atendidas está dividida em (42%) na categoria informal, (21%) MPEs, (5%) MEIs e (21%) são EPPs – Empresas de Pequeno Porte, permitindo conhecer o perfil dos microempresários tomadores de crédito no País. O levantamento mostrou ainda que, (47%) dos participantes da pesquisa têm entre 35 a 45 anos, (31%) na faixa de 45 a 60, (5%) 25 a 35 anos e (15%) desconhecem essa informação.

Já em relação aos setores da atividade (10%) dos microempreendedores atuam na agropecuária, (21%) na indústria (36%) no comércio, (26%) em serviços e (5%) não obtém esse dado. Sobre o tipo de produto oferecido (50%) da carteira é concedido ao crédito para micro e pequena empresas e os outros (50%) ao microcrédito produtivo, ou seja, recurso destinado para capital giro, capacitação profissional, investimentos na aquisição de equipamentos para melhoria do negócio, rentabilidade e crescimento.

Tratando-se do número de agentes de crédito nas instituições financeiras, (84%) têm entre 1 a 15 pessoas (5%) de 16 a 30 e (10%) possuem mais de 30 agentes em circulação. “O Brasil foi um dos países percussores a experimentar o microcrédito no setor informal urbano. No entanto, a oferta do recurso é ainda pequena frente à demanda potencial de microempreendimentos que não têm acesso ao sistema financeiro tradicional. Diferentemente das práticas bancárias, o agente vai até o cliente com a solução, democratizando o acesso ao crédito e inclusão financeira no País”, assegura Ricardo Assaf, presidente da ABSCM – Associação Brasileira das Sociedades de Microcrédito.

Com autorização, respaldo técnico e supervisão do Banco Central, as SCMs – Sociedades de Crédito ao Microempreendedor concedem empréstimos de baixo valor a pequenos empreendedores informais e microempresas que possuem acesso restrito ao sistema financeiro, principalmente pelo fato de não terem como oferecer garantias reais.

Dado

O Brasil tem mais de 23 milhões de MPEs, de acordo com levantamento feito pelo Empresômetro MPE, 16 milhões no Simples e MEI ativos, e já formalizou mais de 10 milhões de microempreendedores individuais desde 2008. Desses (27,7%) atuam no Estado de São Paulo, (10,3%) em Minas Gerais, (9,3%) no Rio de Janeiro, (7,2%) no Rio Grande do Sul e (6,9%) no Paraná.

 A ABSCM

É uma Associação Brasileira das Sociedades de Microcrédito é uma associação civil sem fins lucrativos, criada no ano 2000, com o objetivo de fomentar o empreendedorismo no País, facilitar as condições operacionais e fortalecer institucionalmente as SCMEEPPs. Atualmente conta com 27 instituições credenciadas e está presente em 12 Estados brasileiros. A ABSCM desempenha papel importante como interlocutora entre as associadas e os públicos de interesse, visando a mudança e a modernização do marco legal e regulatório em favor do crescimento e consolidação do setor.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.