FecomercioSP solicita prorrogação de prazo para micros e pequenas empresas registrarem dados no eSocial

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) solicitou ao governo federal a prorrogação do prazo para que microempresas, microempreendedores individuais, e empresas de pequeno porte apresentem os dados de seus empregados no Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial). Foram enviados ofícios para representantes da Receita Federal, Ministérios da Fazenda, do Trabalho e do Desenvolvimento Social, além de outros órgãos competentes.

De acordo com o cronograma de implantação do eSocial, essas empresas – que, hoje, somam aproximadamente 14 milhões de iniciativas – estarão obrigadas, a partir de julho de 2018, a usar o sistema para prestar informações sobre seus funcionários, sendo que a primeira fase inclui apresentação da tabela de rubricas e cadastro de empregador. Contudo, a Federação requer tomada de providências para a prorrogação da obrigatoriedade para janeiro de 2019, mesmo mês designado para os órgãos públicos

Desde o início das discussões sobre o sistema a FecomercioSP está envolvida, participando de diversas consultas públicas e atuando em nome dos empresários de pequenas e microempresas, para que não sejam onerados e incorporem as mudanças propostas pelo governo de forma sustentável para seus negócios.

Atendendo à solicitação da Federação, em meados de 2014, o comitê gestor do eSocial concordou que micros e pequenas empresas deveriam ter tratamento diferenciado, já que, em sua maioria, não possuem estruturas administrativa e financeira que atendam à complexidade do sistema. Logo, mereciam atenção especial, com opções mais simples para atender às obrigações do eSocial.

Na ocasião, o comitê prometeu a disponibilização de um módulo simplificado do sistema para fim de utilização, em caráter experimental e opcional, durante o período dos seis meses que antecederiam o início da obrigatoriedade. Contudo, o módulo não foi oferecido, e o cronograma de implantação prevê data inicial para essas empresas em julho de 2018. A preocupação da FecomercioSP se justifica, tendo em vista que caso os empresários não consigam apresentar as informações no tempo determinado, estariam sujeitos a multa, prejudicando ainda mais os pequenos empreendedores, já sobrecarregados de encargos.

Segundo a Entidade, o sistema que existe hoje inviabiliza a adaptação das micros e pequenas empresas, pois é detalhadíssimo e requer treinamento e conhecimentos prévios para preenchimento, ou, então, que a própria empresa possua um sistema de gestão com integração direta com o ambiente do eSocial e que seja compatível com o módulo existente (webservice). Essa, definitivamente, não é a realidade dos pequenos.

O eSocial é um sistema de registro de informações criado para desburocratizar a administração de informações relativas aos trabalhadores. O cronograma contempla três grupos (grandes empresas, demais empresas privadas e entes públicos), sendo que cada um tem cinco fases. Quando totalmente implementado, o eSocial substituirá 15 prestações de informações ao governo por apenas uma. Além disso, o sistema se configura como um arcabouço de exigências escriturais que promete facilitar o trabalho do Fisco, permitindo uma fiscalização mais eficaz, com rápida aplicação de multa, porém, exige grande mudança na rotina das empresas.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.