Sial Paris aborda a revolução planetária da distribuição alimentar

Foi há mais de meio século que o International Food Show (SIAL) tinha como objetivo tornar-se a maior rede mundial de feiras de alimentos. A aposta foi ousada mas deu certo, e a próxima edição do SIAL Paris já está marcada para o período de 21 a 25 de outubro de 2018 em Paris Nord Villepinte, na capital francesa.

Este evento bienal tornou-se o lugar de encontro para representantes da indústria de alimentos mundial. Para o diretor, o SIAL Paris é uma plataforma única de inspiração que permite testar novos mercados, lançar novos produtos e conhecer os principais profissionais do setor para discutir os desafios futuros.”

Em entrevista à jornalista Cláudia Rivoiro, editora da revista Distribuição e do Portal Newtrade, Nicolas Trentesaux aborda a atual distribuição alimentar. Ainda de acordo com ele, o Sial Paris 2018 ira reavaliar completamente seus modelos, fervilhando inovações para se afirmar cada vez mais como um dos laboratórios da alimentação mundial .

Como está a distribuição alimentar atualmente?

É muito fácil observar isto quando se vai às compras: o comércio alimentar de hoje em nada se parece com aquele do passado. Entre a oferta de produtos a modelos de lojas, passando pelo modo de pagamento ou pelo delivery,a metamorfose se mostra simplesmente radical. E o fenômeno não parará por aí, levado tanto pelo apetite dos consumidores, ávidos de novidades como pela engenhosidade dos industriais, sempre na ponta da inovação. De fato, a distribuição alimentar, que sofreu relativamente poucas reviravoltas nos últimos 30 anos – em oposição a outros setores, vive hoje uma aceleração de sua história: proximidade, serviço, hibridização são sem dúvida algumas das palavras fortes desta revolução. Exemplo disto: a classificação mundial dos maiores varejistas alimentares revela, ano após ano, grandes mudanças. O último exemplo da lista sendo a fortíssima chegada da Amazon.

Você fala de “revolução em curso” trata-se de um fenômeno mundial?

Sem dúvida! Como poderemos constatar em outubro durante o SIAL Paris 2018, que dá destaque à distribuição alimentar. Há uma incrível convergência entre os testemunhos de nossos especialistas, os feedbacks de nossos expositores e de nossos visitantes oriundos de toda a rede SIAL, bem como as informações coletadas através dos estudos realizados com nossos parceiros. Trata-se de uma revolução planetária– em vários estágios de desenvolvimento em função dos países e dos continentes…. Uma mundialização do varejo alimentar que se mostra tão forte quanto a migração dos gostos e sabores, como faz prova o sucesso mundial dos hambúrgueres, dos sushis, ou da baguette.

A digitalização do comércio não seria um risco final de homogeneizar os sabores e de afastar o consumidor do alimento?

Correndo o risco de provocá-lo um pouco, eu diria que a digitalização é somente um meio … para aproximar o homem da alimentação. Pois o fenômeno maior ao qual assistimos hoje na distribuição alimentar, é de fato a re-humanização do comércio! Quer exemplos? Por todo lado as bandeiras reduzem as áreas de venda; pequenos supermercados, clique e retire e feiras estão em plena expansão e ao mesmo tempo os hipermercados são amputados de centenas as vezes milhares de metros quadrados. Os centros urbanos estão sendo retomados pelos distribuidores que os haviam abandonado; e o modelo do circuito curto segue com sucesso!

A proximidade se tornaria, portanto, o valor essencial do comércio alimentar?

Diria mais apropriadamente de uma noção de prazer! De fato, o consumidor quer se aproximar cada vez mais do produto que procura e procura degustar os pratos nas lojas! É disto de que estamos falando: o compartilhar e o prazer estão na moda!

Qual seria hoje a locomotiva ou país de destaque da distribuição?

Todos os países representam em si um modelo, pois no que tange à distribuição alimentar – e o SIAL Paris está bem colocado para saber disto–, cada região conserva suas tradições, suas receitas e suas fórmulas de sucesso. Não se faz compras do mesmo modo no Canadá, na Indonésia, na França ou na Índia. Dito isto, a China hoje está ditando as regras no mercado mundial suplantando a Califórnia, berço da inovação em termos de distribuição alimentar. E sabe qual o ponto forte do modelo chinês? Esta extraordinária capacidade de desenvolver a comunicabilidade e os serviços … e a se comprometer pelo consumidor.

Poderia nos dar um exemplo para ilustrar este dinamismo chinês?

Uma das mais importantes redes de supermercados, bem implantada nas grandes cidades do país, se apoia num aplicativo móvel de alta performance, propondo uma série de opções aos seus utilizadores. Você tem a escolha de fazer suas compras com entrega a domicílio ou no local do trabalho em menos de meia hora; tem também a opção de deixar um chef de cozinha preparar uma ou várias refeições com os ingredientes selecionados, ou você pode ainda ir à loja para selecionar os produtos ou degustá-los numa área de restaurante especialmente montada no supermercado. O modelo é um grande sucesso pois todos os protagonistas se comprometem em favor do consumidor, com simplicidade e transparência!

A revolução alimentar também inclui a distribuição, com múltiplas inovações que tem um efeito disruptivo no mercado. Como o SIAL Paris 2018 tratará deste fenômeno?

Todas as tendências de curto, médio ou longo prazo que serão encontradas um dia nas gondolas e prateleiras das lojas, são primeiramente lançadas no SIAL. Isto porquê somos um laboratório de ideias, para todos os profissionais e sobretudo para aqueles da distribuição.

SIAL Paris 2018
de 21 a 25 de outubro de 2018
Paris-Nord Villepinte/Paris- França
Clique no link abaixo até 20 de setembro e garanta seu desconto.
https://www.sialparis.com/visitor-badge?super_code=AGENTBRA

Maiores informações junto à PROMOSALONS BRASIL – Marie-Ange Joarlette – [email protected] ou telefone: 11 981361126

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.