Montadoras enfrentam crise com ofertas atrativas de serviços e manutenção

2

Em sua busca pela direção certa, o caminho para as montadoras obterem economia em uma frota de veículos comerciais percorre estradas perigosas e, muitas vezes, desconhecidas. Quando a palavra de ordem é eficiência na gestão logística de transporte, diversos fatores influenciam a vida útil e os gastos gerados com a manutenção de caminhões, furgões e veículos urbanos de carga (VUCs), tais como a falta de conhecimento das particularidades do veículo por parte dos motoristas, pouco ou nenhum controle do calendário de revisões, e excesso de carga no transporte quando se pretende gerar mais de uma entrega por viagem.

Nesta época de baixa nas vendas de caminhões novos, as principais montadoras estão procurando aproximar-se do cliente para entender suas operações, otimizando assim a especificação dos veículos e dos serviços mais adequados para cada empresa atendida. “Na crise, o frotista fica muito mais criterioso no processo de compra. Cada real economizado pode significar, no fim do mês, a diferença entre o lucro e o prejuízo da empresa. Por isso, temos observado um aumento da preocupação dos nossos clientes com a avaliação da performance dos nossos caminhões, seu custo de manutenção, sua disponibilidade e seu valor de revenda”, comenta Victor Carvalho, diretor de Vendas de Caminhões da Scania no Brasil.  

Para o distribuidor que precisa readequar seu quadro de veículos, mas não está disposto a despender grandes quantias, uma das principais alternativas para planejar a renovação e o crescimento da sua frota é o consórcio. Carvalho conta que a opção de compra oferece vantagens e promoções que atraem muitos clientes. “Uma cota contemplada gera uma grande oportunidade de negócios, e por isso o consórcio mantém-se muito forte. A opção oferecida pela Scania traz uma série de benefícios: parcelamento do bem em até 100 meses, sem juros e sem entrada; taxa de administração de 12,5% diluída no prazo da cota; financiamento mais barato que os outros disponíveis no mercado, e taxas competitivas, com custo financeiro muito menor do que aquele que se pagaria se se recorresse a um empréstimo”, lembra o diretor de Vendas de caminhões. Desde janeiro, a montadora passou a disponibilizar os Serviços Conectados. Trata-se de uma nova maneira de gerir a frota por meio de um uso inteligente de dados do veículo e em parceria com a rede da marca, de modo a contribuírem para a redução do custo por quilômetro rodado. “O transportador e a Scania têm acesso a muito mais dados, e podem identificar diversos fatores, como estilo de condução do motorista e consumo de combustível”, salienta Carvalho. Os dados são enviados pelo Scania Communicator, módulo instalado nos caminhões desde maio de 2016. Os proprietários devem ativá-lo numa Casa Scania. 

Continue lendo essa matéria na ed. de março da Revista Distribuição. A versão online da publicação está disponível aqui!

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.