Profarma registra crescimento com destaque para a divisão de Distribuição Farma

A Profarma divulgou ontem, dia 21 de março de 2019, os resultados do quarto trimestre e ano de 2018 (4T18). No exercício em que o setor farmacêutico apresentou um dos menores crescimentos dos últimos anos, 6% – segundo o IQVIA, pela métrica Consumer Purchase Price, que contempla a análise de 70 milhões de transações/mês -, a Profarma reduziu em 91,4% o prejuízo líquido apresentado em 2017. Isso significa um avanço, em 12 meses, de R$ 103 milhões no resultado líquido.

A receita bruta consolidada registrou crescimento de 3,1%, R$ 4,9 bilhões, com importante contribuição das vendas da divisão Distribuição Farma, que aumentou 5,9%. Houve ainda incremento de 60,6% no Ebitda, que somou R$ 95,0 milhões, com margem de 2,2%, e redução de 40,2% em despesas financeiras. A Companhia também obteve redução de 5,6 dias no ciclo de caixa.

O vice-presidente de Finanças e Relações com Investidores da Profarma, Max Fischer, comentou: “Consideramos que esses resultados foram possíveis, entre outras razões, pela implementação gradual do novo Planejamento Estratégico, apoiado pelo Boston Consulting Group, que nos impulsionou a um crescimento em receita bruta de 12,3% e 135,3% no Ebitda, ambos na comparação do 2S18 ante o 2S17.”.

Destaques por divisão
Distribuição farma

A divisão Distribuição Farma obteve crescimento de 5,9% na receita bruta, atingindo R$ 4,4 bilhões, e evolução de 15,5% no Ebitda – que somou R$ 69,2 milhões e margem Ebitda de 1,8%. Entre as principais iniciativas da divisão no ano, estão: (i) melhoria do mix de vendas, com foco na categoria Genéricos; (ii) estabilização da operação do novo CD Rio de Janeiro, inaugurado em outubro de 2017; (iii) recuperação da alavancagem operacional, com redução de 0.7 p.p. na despesa operacional; (iv) redução do ciclo de caixa em 5,0 dias; (v) recuperação de market share para níveis anteriores; (vi) melhoria de 4.0 p.p. no nível de serviço, atingindo 94,0%; (vii) alcance da marca recorde de 43 mil CNPJs atendidos; (viii) ampliação da área de serviços, com destaque para a expansão do contrato de Propaganda Médica – agora, com o dobro da equipe e atuação em todo o território nacional.

Divisão varejo

A divisão Varejo teve um dos mais expressivos resultados desde 2013, com receita bruta de R$ 1,2 bilhão, em linha com a registrada em 2017, porém, considerando o conceito de “mesmas lojas”, houve crescimento de 4,8% e evolução no faturamento médio por loja de 9,4%. Com a diminuição das despesas corporativas de 14,5%, o Ebitda passou de R$ 0,4 milhão em 2017 para R$ 22,2 milhões em 2018. Com isso, o prejuízo líquido foi 95,5% menor, passando de R$ 47,5 milhões em 2017 para R$ 2,1 milhões em 2018. Contribuíram para o desempenho: (i) 106 intervenções em lojas, entre reformas e ampliações; (ii) otimização do nosso portfólio, com 23 fechamentos e 9 trocas de ponto; (iii) diminuição da ruptura em loja; (iv) renovação de 100% do parque de computadores da operação; (v) unificação do sistema de frente de loja; (vi) roll out de CRM para a Rosário; (vii) crescimento de 36,9% em receita de nossas Marcas Exclusivas, atingindo 4,7% de front store share em dezembro de 2018; (viii) aumento de 6,6% do ticket médio, na comparação dez/18 ante dez/17.

Para 2019, a Companhia tem ações em seu planejamento estratégico que já estão em execução e desenvolvimento. Iniciativas, como: ampliação do Centro de Serviços Compartilhado (CSC), lançamento da plataforma digital do Varejo; intervenção em mais de 40 lojas, entre reformas e ampliações, e outras mais detalhadas no release de resultados, focarão na captura de eficiência e sinergias entre as plataformas de Distribuição e Varejo.

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.