Seções

Nesta Edição

divisor-menu

Últimas Edições

Seções

Nesta Edição

Últimas Edições

Seções

Nesta Edição

OPORTUNIDADE

Muito além da barba

O brasileiro se rendeu aos produtos de beleza e, com isso, aos hidratantes, itens para cuidados ao barbear, artigos de perfumaria e sabonetes, entre outros produtos

Por Adriana Bruno

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Se, até algum tempo atrás, muitos homens tinham vergonha de revelar sua vaidade, hoje em dia isso caiu por terra. Jogadores de futebol, cantores, atores, e outros influenciadores mostraram ao mundo que cuidar da aparência não é uma característica exclusivamente feminina, mas também  é uma necessidade de saúde e de bem-estar. 

E esse movimento em torno da beleza masculina acabou por abrir um leque de oportunidades para o crescimento de categorias de cosméticos e produtos para higiene pessoal, perfumaria e cuidados para esse público. 

Cuidados que antes praticamente se limitavam ao barbear hoje se estendem para muito além das gôndolas. Os homens já buscam informações sobre produtos e tratamento e também querem produtos específicos para eles. 

Comportamento que se reflete no crescimento do mercado. No Brasil, ele cresceu 70% em relação aos últimos três anos. Somente em 2017, o brasileiro gastou cerca de 6,21 bilhões de dólares com produtos para cuidados e beleza, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, com o faturamento de 8,72 bilhões de dólares.

“Isso significa que as marcas e empresas que atuam nesse setor precisam estar atentas a todas as oportunidades que possam gerar vendas e conquistar consumidores”, diz Fernando Bueno, gerente de Marketing da Gillette e da Gillete Venus para o Brasil.

Segundo Bueno, de acordo com uma pesquisa realizada pelo SPC – Serviço de Proteção ao Crédito e pela CNDL – Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, 57,4% dos homens brasileiros se consideram vaidosos e mais de 10% se declaram muito ou extremamente preocupados com a aparência. 

“Entre os entrevistados pelos pesquisadores, 46,8% disseram que se preocupam em se manter sempre bem cuidados e arrumados, mas sem exageros. Além disso, uma pesquisa realizada no ano passado pelo Google BrandLab São Paulo constatou que a visualização do público masculino em vídeos de beleza cresceu 44%. Ou seja, o homem brasileiro está cada vez mais vaidoso, interessado e preocupado com sua aparência. O que acarreta um aumento da procura por produtos de cuidados e beleza entre os homens”, conta Fernando Bueno.

FERNANDO BUENO, gerente de Marketing da Gillette e da Gillete Venus

CATEGORIAS 

Categorias tradicionais, como fragrâncias e desodorantes, estão impulsionando o mercado masculino, segundo Raquel Ferreira, diretora de Contas da Kantar WorldPanel. “Os gastos com fragrâncias masculinas cresceram 11% em 2018, crescimento porcentual acima da inflação, considerando-se que o IPCA de 2018 foi de 3,75%.

Caio Caridade, diretor-comercial da Soffie Biocosméticos, conta que atualmente a diversidade de desodorantes masculinos responde por 60% do volume comercializado pela empresa. Ele também revela que qualidade, fragrância e embalagem são os critérios mais considerados pelo shopper para escolher seus produtos. “O público masculino está, de maneira geral, cada vez mais interessado em cuidados pessoais e o atacado distribuidor desempenha papel fundamental e participação ativa na construção dos hábitos de consumo”, comenta Caridade. 

Segundo o estudo “Consumer Insights 2018” da Kantar, categorias com maior valor agregado ganham importância no bolso do consumidor. Entre os itens de higiene e beleza, o destaque vai para os cremes e loções, deocolônias, xampus e antissépticos bucais. 

RAQUEL FERREIRA, diretora de Contas da Kantar WorldPanel

“Na hora da escolha de itens de cuidados pessoais, o brasileiro leva em consideração, na maioria das vezes, a boa fragrância e a relação preço/qualidade”, comenta Raquel. Entre os produtos que mais se destacaram estão as espumas e os cremes para barbear, com crescimento de 4,69% e 10,17%, respectivamente, de acordo com números divulgados pela Abihpec – Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal e Cosméticos. 

“Por sua vez, os xampus masculinos apresentaram um aumento de 5,77%, e os fixadores, que integram as pomadas capilares, cresceram 123% no ano passado”, comenta Carlos Valotta, diretor-comercial da Memphis. 

Segundo ele, hoje em dia percebe-se que há dois perfis de  shopper, aqueles que compram de maneira automática e racional, buscando marcas conhecidas, e aqueles que estão mais abertos à experimentação de marcas e produtos. 

“Esses consumidores ficam mais tempo na frente da gôndola, analisando os rótulos e procurando seus produtos. Eles têm como primeiro item da sua decisão o benefício, ou a utilidade, dos produtos, por exemplo, verificando se ele é só xampu ou 2 em 1. 

BENEFÍCIOS E ATRIBUTOS 

Em seguida, vêm a marca e o preço. Dessa maneira, é importante que o PDV esteja apto para satisfazer as necessidades dos dois perfis, apresentando os produtos de maneira clara, além dos seus principais benefícios e atributos”, comenta Valotta.


E, nesse ponto, a expertise do atacado distribuidor faz toda a diferença na hora de ajudar o varejista a entender a categoria e oferecer tanto a solução como a melhor experiência de compra para o cliente final, inclusive no planejamento e na composição do mix de marcas e produtos. 

“É importante ter itens voltados para todos os tipos de consumidores, desde aqueles que querem um produto com preço mais acessível até aqueles que buscam um aparelho de barbear mais robusto, além dos complementos, como lâminas avulsas, cremes, géis e espumas, oferecendo um portfólio completo”, recomenda Bueno.

CARLOS VALOTTA, diretor-comercial da Memphis