Seções

Nesta Edição

divisor-menu

Últimas Edições

Seções

Nesta Edição

Últimas Edições

Seções

Nesta Edição

Painel

Acelerar
Governo pensa em liberar saques no FGTS

O governo estuda liberar saques de contas ativas do Fundo de Garantia de Tempo de Serviço (FGTS), em uma medida semelhante à implementada pelo governo Michel Temer no caso das contas inativas. A informação foi confirmada por Paulo Guedes, ministro da Economia. O objetivo é o mesmo: injetar recursos capazes de alavancar a volta do crescimento. A medida, entretanto, ainda segue em estudo, e só deverá ser implementada depois da eventual aprovação da reforma da Previdência.

Captação
TOTVS prepara-se para crescer mais

A empresa de software de gestão TOTVS prepara-se para iniciar um novo ciclo de crescimento via aquisições depois de ter captado um bilhão de reais na semana passada com uma oferta primária de ações, disse Dennis Herszkowicz, presidente-executivo da companhia. “Vamos investir tudo em aquisições”, declarou. A declaração mostra como Herszkowicz, que assumiu em novembro em substituição ao fundador Laércio Consentino, planeja uma retomada do movimento de expansão não orgânica da TOTVS, marcado por mais de 30 aquisições em uma década até 2016.

0,2%

foi o recuo porcentual do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços brasileiros, de janeiro a março de 2019, em comparação com o quarto trimestre do ano passado. Foi o primeiro recuo trimestral da economia brasileira desde o fim da recessão em 2016. Na comparação com o mesmo período de 2018, o PIB cresceu 0,5%. O resultado final foi puxado, em grande parte, por quedas na indústria (0,7%) e na agropecuária (0,5%), enquanto os serviços tiveram uma leve alta de 0,2%

Valter Campanato/Agência Brasil
Combate à corrupção
Coaf pode virar agência de investigação

O governo federal pretende transformar o Coaf – Conselho de Controle de Atividades Financeiras, órgão ligado ao Ministério da Economia, em uma agência de investigação para atuar na prevenção e no combate à corrupção a partir do cruzamento de dados financeiros. A informação foi fornecida por Onyx Lorenzoni (foto), ministro da Casa Civil.