Quatro principais tendências estão afetando o desenho das redes de logística

8

As empresas estão repensando suas estratégias de go-to-market e, como resultado, estão fazendo escolhas distintas sobre como localizar, projetar e operar os imóveis de suas redes de distribuição. Isso criou uma nova realidade para o cenário imobiliário das cadeias de distribuição, de acordo com um relatório publicado hoje pela DHL, principal empresa de logística do mundo, que discute o novo cenário dos imóveis do setor de supply chain. As cadeias de suprimentos globais e regionais estão mudando, à medida que se adaptam às novas realidades de comércio e concorrência. 

The New Landscape of Supply Chain Real Estate é um relatório assinado por Lisa Harrington, presidente do grupo lharrington group LLC, preparado em colaboração com a DHL. Harrington também é pesquisadora sênior da Robert H. Smith School of Business, na Universidade de Maryland.

O relatório afirma que, embora uma economia global mais saudável alimente a demanda por bens imobiliários no setor de supply chain, este não é o único fator de estímulo. Quatro outras forças estão atuando, e elas estão causando um efeito transformador sobre as redes de centros de distribuição (CD) das empresas. São elas:

A revolução do e-commerce

Globalização e right-shoring (realocação de processos em âmbito mundial)
Fusões e aquisições
Inovações tecnológicas

Neste cenário de mudanças, a tarefa de gerenciamento das propriedades no setor de supply chain é muito mais complexa. Por esta razão, os entrevistados que participaram deste relatório de pesquisa afirmaram que, cada vez mais, têm recorrido a especialistas externos para obter ajuda. Estes especialistas podem atuar em várias áreas distintas, como consultores de desenho de rede, corretores de imóveis ou 3PLs.

“O modelo das redes mundiais de supply chain está mudando”, diz Harrington, autora do relatório da DHL. “Os dias de operar um portfólio imobiliário estático e ajustá-lo a cada cinco ou sete anos pertencem ao passado. Os negócios estão muito dinâmicos e as apostas estão muito elevadas”.

E Harrington continua: “O fato é que, a forma como as empresas gerenciam seus portfólios imobiliários de supply chain, passou de uma preocupação tática / operacional para um diferencial estratégico. As supply chains que operam de forma mais ágil e com custos mais baixos não economizam apenas dinheiro. Elas promovem o crescimento”.

Kent Waggoner, vice-presidente de Estratégia e Desenvolvimento de Negócios da DHL Real Estate comentou: “Operar uma rede de distribuição que promova o crescimento estratégico, ao mesmo tempo em que atende aos objetivos financeiros globais, exige recursos robustos de gerenciamento imobiliário que vão desde a seleção de locais e o desenvolvimento de propriedades até o gerenciamento de arrendamentos e a operação de unidades físicas”.

Conforme indicam as empresas entrevistadas para a elaboração deste relatório, firmar parceria com uma 3PL integrada, especializada em gerenciamento de operações e gestão imobiliária, pode resultar em uma solução sem falhas e muito poderosa.

Para fazer o download do relatório completo, visite: www.dhl.com/real-estate

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.